Sulamericana festeja os 15 anos da ONG Badí

 

Este ano, a ONG Badí Comunitário completou 15 anos de existência, o que para nós da Sulamericana, é motivo de muito orgulho. Primeiro porque esta entidade é fruto do sonho de nossos fundadores, os irmãos Hussein e Qodra’u’ llah Soltani. Em segundo, porque nesses 15 anos, já prestou atendimento a milhares de pessoas que procuram suas oficinas e cursos.

O Badí surgiu no ano de 2000, aproveitando a doação de casas que antes pertenciam à antiga Estrada de Ferro Mogiana. Os imóveis passaram por profundas reformas internas e adaptações para abrigar salas de aulas, salões, sanitários, etc, sempre preservando sua arquitetura de inspiração inglesa, peculiar das ferrovias brasileiras do final do Século XIX.

Bem no início, o Badí só oferecia uma classe do EJA (Educação para Jovens e Adultos). “Depois, fomos incorporando as oficinas. A primeira foi de artesanato, mais precisamente de pintura em gesso”, recorda Maria Luiza Muniz Mantovani, 1ª secretária da entidade, hoje presidida pelas filhas de Soltani, Golly (presidente) e Sissy (vice-presidente).

Depois vieram os cursos de dança, crochê, dentre outros. Maria Luiza explica que, como as mães acabavam trazendo os filhos, a partir de 2010, o Badí também passa a oferecer oficinas à adolescentes e crianças. “Foi uma reviravolta”, observa a secretária. Atualmente, a entidade atende a mais de 150 pessoas, entre adultos, adolescentes e crianças.

Muitos dos jovens que freqüentam os cursos e oficinas são oriundos de periferias pobres e alguns estão em situação de risco social, como adolescentes da Fundação Casa. Eles têm à disposição cursos de informática, manicure, cabeleireiro, maquiagem, crochê e preparação para o mundo do trabalho.

 

RESPEITADA

Este último faz enorme sucesso entre os adolescentes. Já os adultos podem freqüentar os mesmos cursos ofertados aos adolescentes, além de um, especialmente voltados às gestantes. Já para as crianças são oferecidas aulas de balé, teatro, artes plásticas, dança, informática e o “campeão de audiência”, o curso “Esporte, Saúde e Vida”.

Para 2016, além desses cursos, o Badí pretende levar esses cursos ao Jardim Planalto e Residencial Floresta, bairros da Zona Leste, bastante carente de atividades socioeducativas. Por tudo isso, o Badí é hoje uma entidade bastante respeitada, reconhecida nacionalmente e até no exterior.

É a prova viva da vontade de dois bahá’ís, os irmãos Soltani, que acreditavam que as mudanças no mundo se dariam, sobretudo, pela educação do ser humano, não importando a idade, cor, religião ou classe social.

Localização