Aumentam as exportações da Sulamericana

export (5)

A desvalorização do real frente ao dólar atingiu em cheio alguns setores da economia. Por outro lado, beneficiou outros, especialmente quem exporta. Desde o início do ano, a Sulamericana vem incrementando suas exportações, inclusive de papel WTL. “Antes exportávamos apenas o cinza”, recorda nosso gerente de vendas, Júlio César Ravagnani.

Ele também destaca que, com esse novo produto, a Sulamericana vem conquistando novos mercado, como Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai, embora a venda de papel cinza ainda seja nosso principal produto de exportação, com aproximadamente 200 toneladas mês.

Já com o WTL as vendas giram em torno de 75 toneladas/mês. “Nossa próxima meta é elevar esse patamar do branco também para 200 toneladas”, observou Júlio. Outro grande passo da Sulamericana para incrementar suas exportações foi a parceria com um a nova trading, a Ladex, em São Paulo, que está abrindo novos mercados aos nossos produtos.

“Já há inclusive contatos com empresários alemães interessados em nosso papel cartão”, comemora o gerente de vendas. Atualmente, as exportações da nossa fábrica representam apenas 5% do faturamento. O objetivo e elevar esse índice para 10% até o final do ano, assim como ampliar a participação no mercado interno.

 Cumprindo Metas

Por sinal, essas metas foram estabelecidas por Júlio desde que ele chegou à Sulamericana, em meados de 2015. À época ele já havia dito ao nosso jornal que suas principais metas seriam a de aprimorar ainda mais a qualidade dos nossos produtos, reconquistar antigos clientes e buscar sempre novas parcerias, inclusive nos países do Cone Sul. Pelo visto, essas promessas estão sendo cumpridas à risca.

 

Localização